Durante a manhã desta sexta-feira (24), o Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Distrito Federal (Sindate-DF) participou de reunião para discutir, em conjunto com gestores e servidores do Hospital Regional do Gama (HRG), soluções quanto às condições de trabalho do Centro de Esterilização de Materiais (CME) e da Clínica Ortopédica da unidade hospitalar.

No encontro, os profissionais do CME reivindicavam que a limpeza e o processamento de materiais utilizados em pacientes com casos suspeitos ou confirmados da Covid-19 fossem alocados em uma área exclusiva e adequada para a esterilização, devido a impossibilidade de utilização da área improvisada onde atualmente funciona o Núcleo de Material Esterilizado para a lavagem e manuseio dos materiais. 

Como solução do problema, a diretora do Sindate-DF Elza Aparecida, sugeriu que a parte concluída do local fixo do CME, em reforma há anos, seja utilizado para recepção, limpeza e esterilização do material de Covid-19, tendo em vista que a área possui um máquina lavadora em condições de uso, seguindo assim os protocolos estabelecidos de controle do vírus. Os servidores ainda solicitaram aos gestores que o déficit no setor seja resolvido para dar continuidade ao fluxo de trabalho no CME, além do abastecimento dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Local controlado para desinfecção de material

Em comum acordo, foi decidido que a partir desta sexta-feira o expurgo improvisado e inadequado para lavagem do material contaminado de Covid será extinto, devendo ocorrer a liberação do local em reforma com a termodesinfectora operante para o processamento do material com coronavírus. A direção administrativa do HRG afirmou ainda que em até 30 dias toda área do CME em reforma será entregue para normalização das atividades, e se dispôs a fornecer os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs)  em falta aos profissionais.

Déficit de profissionais

Como forma de repor o quadro de profissionais do setor, serão solicitadas 40 horas para os servidores que tiveram interesse e, no caso de concessão, serão cumpridas preferencialmente no Núcleo de Material Esterilizado. No CME da Covid-19, dois servidores atuarão ininterruptamente para o processamento do material na termodesinfectora. De acordo com a Gerência de Enfermagem, atualmente há uma grande dificuldade em encontrar profissionais para cumprir o Trabalho por Período Determinado (TPD) no setor para suprir o déficit da demanda.

Clínica Ortopédica 

Durante reunião da Clínica Ortopédica, foi esclarecido que os profissionais não concordam com a possibilidade de rodízio com a Clínica Cirúrgica, tendo em vista a demanda de pacientes e a reforma que será realizada em breve no setor, onde os servidores deverão ser alocados para outra área. Foi deliberado que, até a realização de uma reunião com o superintendente, não será executado o rodízio de profissionais entre os setores.