Por Leandro Montes

Na manhã desta quarta-feira (30), diretores do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (Sindate-DF) se reuniram com a direção do Departamento de Polícia Técnica da Polícia Civil (DPT), para discutir demandas dos profissionais representados que atuam nas unidades do Instituto de Medicina Legal (IML).

Na reunião, que contou com a presença dos diretores do Sindate Josy Jacob e Moisés de Miranda, estiveram presentes o diretor de polícia técnica, Raimundo Cleverlande, o diretor adjunto do IML, Fábio França, além da assessora do DPT, Jamile Ataíde.

Durante o encontro, os diretores do Sindate destacaram denúncias referentes à sobrecarga de trabalho e ao desvio de função relatadas pelos profissionais. De acordo com Josy Jacob, os trabalhadores estariam sendo obrigados a desempenharem funções designadas aos servidores do laboratório, administrativo e anatomia. Em virtude dos problemas elencados, o sindicato solicitou a retirada da função dos técnicos.

Atualmente, os profissionais fazem parte da carreira de Atividades Complementares de Segurança Pública, disposta na Lei Nº 2.758/2001, na qual estão incluídas áreas como anatomia, radiologia e laboratório. No total, 21 técnicos em enfermagem desempenham as atividades.

Em resposta, o diretor do DPT, Raimundo Cleverlande, ressaltou que as medidas solicitadas pela direção do Sindicato serão formalizadas para que sejam tomadas as providências cabíveis no cumprimento da Lei do Exercício Profissional da Enfermagem.

A direção do Sindate-DF irá oficializar um documento com os problemas enfrentados pelos profissionais, cobrando da gestão soluções. O Sindicato continuará acompanhando o caso, para garantir que todos os planos informados na reunião sejam devidamente cumpridos.